sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Aqui nos encontramos

Mais um blog, mais um começo, mais ideias estapafúrdias para debitar...

A vida em ponto morto... serei apenas eu a sentir isto?
A vida ultimamente estagnou, parou, deixou de avançar.
Sucedem-se as horas, os momentos, os dias, mas para mim a vida não avança, não traz nada de novo, não me entusiasma...
Temos a rotina, o dia-a-dia sem grandes alterações, os programas de sempre em que se lhe muda os títulos, mas o conteúdo é sempre o mesmo, sol e a chuva, vento e o calor, o preto e o branco, o sim e o não, a multidão e a solidão... e nada muda, nada se altera...

Não, não é isto que quero, não é isto que desejo. Dentro de mim a alma pena, grita, esperneia, pede atenção, diz que não pode, nem quer assim continuar. Deixei-me adormecer ou fizeram-me adormecer, nem sei... Sei que não quero continuar adormecida, mas o corpo está cansado, os olhos querem continuar fechados, a desilusão instalou-se... A alma continua lá, em luta, a espicaçar-me, a querer fazer-me acreditar que há muito mais. E desta vez eu ouvi-a.

Está na altura de apreciar as pequenas coisas, os momentos que me fazem sentir bem, as conversas, as palavras, as pessoas, os mimos, os sorrisos, as piadas, os pensamentos, as vontades, os desejos.
E assim surge o "A vida em ponto Morto", para que eu consiga escrever e descrever o que de bom tenho na minha vida, o que surge, o que me faz sentir bem e feliz.

Para quê?
Para me fazer lembrar que mesmo que o sentimento seja  que estou em ponto morto, a realidade é que nada pára e que estou sempre em movimento... apenas tenho de apreciar o mesmo.


2 comentários:

► JOTA ENE ◄ disse...

Que este espaço, vá ao encontro daquilo que anseias !

Beijo[ta]

Lisa disse...

Assim o espero Jota ;)
E conto com as tuas visitas por cá... ;)